Papai sempre diz…

Deliciosamente PERIGOSA!

Papai sempre diz pra eu cuidar bem da minha saúde como um todo… Isso inclui meu corpo, minha mente, e minha relação com Ele! Em Seus conselhos Ele adverte: “Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos?” (1 Coríntios 6:19).

Desse modo, procurando obedecê-Lo – afinal, Ele me criou e sabe o que é melhor pra mim – comecei a prestar mais atenção nos meus hábitos, e a eliminar aquilo que com o tempo percebia prejudicar essas três áreas da minha saúde, e que refletiam negativa e diretamente em outros aspectos da minha vida!

E foi em meio a esse desejo de agradar ao Meu Pai que descobri os malefícios da CAFEÍNA! Aliás, não é novidade para ninguém que a cafeína é um poderoso estimulante do nosso sistema nervoso central… Mas ontem li um artigo em uma famosa revista americana, a Forbes, que trás um dado totalmente novo para mim, e que talvez seja novo para você também!

Você sabia que, entre outras coisas, a CAFEÍNA é também inimiga da nossa I.E. (Inteligência Emocional)???

Dá só uma olhada na matéria (já traduzida pelo meu esposo):

Cafeína: O Assassino Silencioso da Inteligência Emocional

“A dica de hoje para aumentar a sua inteligência emocional é a mais simples e direta que você poderia receber. Para muitas pessoas, essa dica pode ter um impacto sobre a sua inteligência emocional (IE) maior do que qualquer outra. O truque? Você tem que cortar o consumo de cafeína e, como qualquer consumidor de cafeína pode atestar, é mais fácil falar do que fazer.

O Bom: Não É Realmente Bom
A maioria das pessoas começa a beber cafeína porque ela os faz sentir mais alerta, além de melhorar o seu humor. Muitos estudos sugerem que a cafeína realmente melhora o desempenho de tarefas cognitivas (memória, atenção, etc.) no curto prazo. Infelizmente, esses estudos não levam em conta os hábitos de consumo de cafeína dos participantes. Uma nova pesquisa da Johns Hopkins Medical School mostra que o aumento do desempenho devido à ingestão de cafeína ocorre porque os seus consumidores experimentam uma reversão de curto prazo da retirada da droga. Controlando o uso de cafeína nos participantes do estudo, os pesquisadores da Johns Hopkins descobriram que a melhora de desempenho relacionada a ela é inexistente sem sua retirada. Em essência, a saída da cafeína reduz o seu desempenho cognitivo e tem um impacto negativo sobre o seu humor. A única maneira de voltar ao normal é bebendo mais cafeína, o que dá a impressão de que ela o está levando novamente às alturas. Na realidade, porém, a cafeína só está levando o seu desempenho de volta ao normal e por um curto período.
O Mau: Adrenalina
Beber cafeína provoca a liberação de adrenalina. A adrenalina é a fonte da resposta “bater ou correr”, um mecanismo de sobrevivência que o obriga a se levantar e lutar ou correr para as montanhas, quando confrontado com uma ameaça. O mecanismo de luta ou fuga evita o pensamento racional em favor de uma resposta mais rápida. Isso é ótimo quando um urso o está perseguindo, mas não tão bom quando você está respondendo a um e-mail breve. Quando a cafeína coloca seu cérebro e seu corpo dentro desse estado hiperestimulado, suas emoções assumem o controle de seu comportamento. Irritabilidade e ansiedade são os efeitos emocionais da cafeína mais comumente vistos, mas na verdade a cafeína permite que todas as suas emoções assumam o comando. Os efeitos negativos de uma onda de adrenalina gerada pela cafeína não são apenas comportamentais. Pesquisadores da Universidade Carnegie Mellon, descobriram que grandes doses de cafeína aumentam a pressão sanguínea, estimulam o coração, e produzem respiração rápida e superficial, o que os leitores de Inteligência Emocional 2.0 sabem que priva o cérebro do oxigênio necessário para manter o seu pensamento calmo e racional.
O Feio: Sono
Quando você dorme, seu cérebro literalmente se recarrega, embaralhando as memórias do dia e armazenando ou descartando-as (o que provoca os sonhos), de modo que você acorda alerta e lúcido. O seu autocontrole, atenção e memória são reduzidos quando você não tem a quantidade suficiente – ou o tipo correto – de sono. Seu cérebro é muito volúvel quando se trata de dormir. Para você acordar sentindo-se descansado, o cérebro precisa se mover através de uma série elaborada de ciclos. Reduzindo sua ingestão de cafeína, você pode colaborar com esse processo e melhorar a qualidade do seu sono. Aqui está porque você vai querer fazer isso: a cafeína tem um prazo de seis horas de meia-vida, o que significa que ela terá um total de 24 horas para percorrer seu caminho para fora do seu sistema. Tome uma xícara de café às oito da manhã e você ainda terá 25% da cafeína em seu corpo às oito da noite. Qualquer bebida com cafeína que você beber depois do almoço ainda terá 50% do seu efeito total na hora de dormir. Qualquer cafeína em sua corrente sanguínea – e os efeitos negativos aumentam conforme a dose – tornará mais difícil pegar no sono. Quando você finalmente cair no sono, o pior ainda está por vir. A cafeína atrapalha a qualidade do seu sono, por reduzir o movimento rápido dos olhos (REM), o sono profundo quando seu corpo se recupera e processa emoções. Quando a cafeína perturba o seu sono, você acorda no dia seguinte com uma desvantagem emocional. Naturalmente, você vai ser inclinado a pegar uma xícara de café ou uma bebida energética para tentar se sentir melhor. A cafeína produz picos de adrenalina, o que provoca sua desvantagem emocional. Cafeína e falta de sono deixa você sentindo-se cansado na parte da tarde, assim você bebe mais cafeína, o que deixará ainda mais da substância em sua corrente sanguínea na hora de dormir. Cafeína muito rapidamente cria um ciclo vicioso.
Abstinência
Como qualquer estimulante, a cafeína é fisiologica e psicologicamente viciante. Se você optar por reduzir seu consumo de cafeína, deve fazê-lo lentamente sob a orientação de um profissional médico qualificado. Os pesquisadores da Universidade Johns Hopkins descobriram que a retirada da cafeína provoca dor de cabeça, fadiga, sonolência e dificuldade de concentração. Algumas pessoas relatam sentir sintomas de gripe, depressão e ansiedade depois de reduzir o consumo por tão pouco como uma xícara por dia. Lentamente, afinando a sua dose de cafeína por dia pode reduzir consideravelmente os sintomas de abstinência.”
Caso queira conferir, a matéria original (em Inglês) está aqui.


Então você pode pensar 
“Mas eu não faço tanto uso assim de produtos com cafeína, é só de vez em quando… E também, já vi pesquisas que afirmam que uma pequena quantidade, na verdade, faz até bem!”. 

É verdade! Eu também já vi algumas pesquisas e matérias em jornais dizendo o mesmo… Deixando de lado as questões de marketing e interesses econômicos envolvidos, para nos deter mais na questão da nossa saúde global (como mencionei a principio), eu lhe pergunto: Será que “um pouquinho de vez em quando” não faz MESMO mal a ninguém?
Se você tiver interesse, e mais alguns minutos para ir mais a fundo nesse assunto, clique aqui.

Eu já tirei a minha conclusão: Continuarei buscando fazer aquilo que Meu Pai diz… E você? 😉

PS: Notícia de Blog O Globo, “Garota viciada em Coca-Cola é internada em hospital: ‘ou para ou morre’.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s